sábado, 17 de setembro de 2016

Carinho e ausência

Não tinha ninguém lá...
   Ser um cara zero afetivo durante boa parte da vida trouxe algumas dificuldades ao longo dos relacionamentos que surgiram ao longo da minha vida. Não somente quando se fala sobre outros caras, mas também e especialmente com minha família e amigos. Durante muito tempo pensei, nesta ausência em demonstrar afetividade como uma qualidade, já que homens devem ser brutos, etc.
   Hoje vejo que ainda tenho dificuldade em demonstrar muitas das coisas que sinto e em outros momentos quando deixo de fazer alguma coisa como agradecer, ligar, presentear, estar junto, mandar uma mensagem, no entanto vejo que não é tão normal quanto eu pensava antes, pois sim sou homem, mas não só posso, como devo estar aberto com quem convivo.
   Mas voltando a falar sobre afetividade em relacionamentos nos quais o sexo está envolvido... Admito que tenho uma tendência em jogar com as situações nas quais sobre receber atenção e as diversas formas de carinho. Há uma relação intrínseca entre ausência-afetividade, quanto mais se tende a um dos lados mais se aflora a vontade do outro.
   Parece-me que quanto mais me sinto longe de fulano ou ciclano, maior vontade tenho em receber algum contato afetivo assim como tenho muito prazer em recebe-lo. O contrário também se apresenta na medida que o excesso (não sei dizer como mensurar isto) de contato afetivo me dá vontade de ausentar-me desta relação.
   Nos anos iniciais da escola aprendemos que tudo passa. Até esta relação conflituosa, desaparece quando a relação amadurece.
   "Não há coisa mais triste que a morte de um sonho" => achei esta frase bonitinha do filme que assisti enquanto escrevi este post.

7 comentários:

  1. Definitivamente uma questão tensa. Fui assim até meus 30 anos e como me sofri com este entrave. Com ajuda de um fantástico profissional e muita determinação consegui superar estas barreiras e me sinto muito mais feliz que antes.

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, vejo isto como uma possibilidade de existência, muitos são assim e desde que compreendidos suas causas não devem de modificar por outras razões se não as suas próprias inquietações. Bom saber que não sou o único, assim como ter acesso a diferentes caminhos para sanar este incômodo.
      Abraços.

      Excluir
  2. Na minha família os homens se beijam, se abraçam, sem muita cerimonia, mesmo com 50 anos eu ainda beijo meus tios mais velhos quando os encontro, e todos os primos... Me tornei um cara super afetivo, acabei estendendo isso a minha vida, sou beijoqueiro e abraçador, beijo amigos sem muita cerimônia.
    Uma das histórias mais engraçadas foi quando minha irmã apresentou o seu novo marido (na epoca namorado) para a familia - um cara quase 10 anos mais velho que eu , suiço, mal falava portugues na época - Na despedida do jantar eu sem perceber, por puro hábito, dei um puta abraço e um beijo na bochecha dele... dando boas vindas á familia! Na mesma noite minha irmã me ligou e me fuzilou, que eu não devia ter feito isso, etc, etc... eu me desculpei ...
    Mas algum tempo depois soube, através dele mesmo, que ele tinha gostado, que tinah sido uma das coisas mais carinhosas que tinha acontecido com ele, e ele se sentiu verdadeiramente aceito na familia! HOJE EM DIA... se ele chgar e eu não der um beijo nele... ele fica ate triste!
    comece a beijar todo mundo! quando menos perceber sera um afetivo convicto! kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algumas barreiras parecem intransponíveis em alguns momentos, por incrível que parece, meus pais por serem mais distantes afetivamente da sociedade, nos fazemos distantes uns dos outros também.
      Mas como várias outras coisas na vida, isto também é uma construção social, não?, que deve ser tratada com respeito e tolerância.
      Bom saber que temos vários outros bons exemplos que nos cercam.
      Abraços.

      Excluir
    2. E COMO TODO BOM APRENDIZADO É PRECISO DE MUITO TREINO! COMECE ABRAÇANDO E BEIJANDO AS PESSOAS A SUA VOLTA... EM BREVE VAI SE ACOSTUMAR! RSRSR - mas sei que não é tão simpels assim!

      Excluir
  3. Eu acho que deves relaxar e tentar sair dessa zona de conforto. O medo é um sinal que o cérebro transmite, mas temos de saber avaliar quando existe necessidade de ter esse medo ou não. Acho que no teu caso, ainda para mais sendo um homem bem bonito e interessante, nada terás a recear. encara a vida de forma positiva e pensa que tu mereces ser feliz e ter alguém do teu lado, que te mereça e que te ame do jeito bonito que tu és. ^^

    P.S. - A tua combinação astrológica é bem interessante! Eu sou Sagitário com ascendente em Virgem!

    ResponderExcluir
  4. Também sou uma pessoa sem grande afeição na maior parte do tempo, talvez, porque venho de uma família assim, apesar de tentarmos ser mais afetivos, é difícil. Isso se extende nos meus relacionamentos, principalmente, no início.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Agradeço muito a sua participação! Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...